sábado, 13 de abril de 2013

Recordar

Como já contei aqui a minha mãe vai mudar de casa.
Coube-me a mim arrumar um quarto que o meu pai lá tinha.
Era o orgulho dele. Nenhuma visita "escapava" de lá ir.
Era onde tinha o seu vinho do Porto (apesar de não o beber), onde se fechava horas a ouvir música, onde tinha a colecção de barcos a vela, peças do Futebol Clube do Porto, etc.
 
Comecei pelas canetas, bem, nunca vi tantas canetas. Ele coleccionava e sempre que os netos íam lá a casa tinham que ir buscar no mínimo uma.
No ínicio custou bastante e eu nem as via mas por fim já me ria com a minha mãe a descobrir tudo que ele lá tinha.
Trouxe várias coisas para casa.
Uma caixa cheia de canetas. Não sei o que fazer com elas mas não as podia deitar fora!
Trouxe o diploma do exército. O album de fotografias da tropa, que eu sempre adorei.
E achei estranho estar vazio! As fotos estavam todas numa saca.
Adorei a garrafinha da foto (deve ter um nome próprio mas não sei qual) e penso que alguém lha deve ter oferecido.
Hoje trouxe alguns barcos.
 


O que me deixou sem dormir umas noites foi o facto de eu não lhe poder perguntar a razão do album estar sem as fotos, nem quem lhe ofereceu a garrafinha.
 
É uma sensação tão estranha!
Mas a vida é assim mesma e agora ficam as recordações.
 
Desejo-vos um óptimo Sábado.
Beijos

P.S. Qualquer dia limpo o album e coloco as fotos.

2 comentários:

  1. Olá Sandra...Felicito-te pelo facto de teres coragem para remexeres nessas "coisas"!Dadas as circunstâncias,esses objectos,deixam de ser coisas para,serem pedaços de memória que,se tornam "sagrados" ao toque,porque em última estância,são eles que fazem para nós,a "ponte" com o passado...Também nos permite purgar sentimentos e emoções que tinhamos ou,que sempre julgamos que não tivemos!!Um beijo grande para ti e,continua a remexer contigo ;)

    ResponderEliminar